quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Conselho sobre intenção da Sua Ex.ª Sr. Presidente da República, Dr. José Mário Vaz



"Não me agrada aconselhar, porque, em todos os casos, trata-se de uma responsabilidade desnecessária."  - Ler aqui»»UNIDADE NACIONAL DA REPUBLICA DA GUINÉ - BISSAU E A SUA DIVERSIDADE CULTURAL  

Por, James Wilbonh Flora
 
Lendo as notícias sobre a intenção da Sua Ex.ª Sr. Presidente da República, Dr. José Mário Vaz, faz-me lembrar, muitos filmes de algumas Triste figuras Politicas que Passaram por este Lugar...Antigamente dizia-se que a Culpa era que os Presidentes não tivessem Licenciaturas, o que não é o Caso do atual.

1.O Sr. Presidente, começo por lhe Recordar que há uma coisa que se Chama, a Constituição da República da Guiné-Bissau. Por favor consultar se realmente haja uma alínea, onde se fala de Quotização étnica na Segurança Publica, e na segurança da Presidência da República.
2. Caso não encontre esta alínea, agradecia, que volte ao seu Palácio e chame os seus mais Próximos, e perguntar se de facto, seria melhor solução ser o Primeiro Presidente a Introduzir quota étnica, nas estruturas Publicas da Guiné - Bissau. Claro, porque se começar nas Seguranças de Palácio, tem que estender por outros sectores da vida Publica, caso contraio, há contornos de uma franca descriminação étnica.

O Sr. como disse sempre foi eleito para garantir a observância da lei, portanto, não seria o Senhor o primeiro a introduzir uma ilegalidade. O que lhe merecia chamar um nome, que eu não quero chamar um Presidente da República do meu país.

Todavia, suponho que a Sua Ex.ª Sr. Presidente da República, Dr. José Mário Vaz esta a violar os Artigo 24.º, Artigo 4.º n.º 6, Artigo 28.º, n.º 1 da Constituição da República da Guiné-Bissau (Consultar aqui»»)

Esta parte Introdutório, como sempre disse eu vou repetir com todo respeito que o devo como Presidente da República da Guiné – Bissau, já eleito, sempre o achei um excelente Primeiro-ministro. Porque é um Homem Trabalhador, Persistente com visão de Gestão económica apurada. Como Presidente da República, não sinceramente. Um Presidente da República deve ter uma Profunda formação Política, um conhecedor de Olhos fechados a História que fez erguer este pedaço da Terra como uma República, um Negociante dos consensos por excelência. Coisas que o Sr. definitivamente não tem.

Nenhum país conseguiu funcionar com a quotização étnica na História, aconselho -lhe pesquisar a este propósito nos dias vagos que disporá no seu Quintal. Começando com exemplo de Israel-Palestina, para acabar com quotização das Escolas para Negros/Brancos nos EUA nos anos 40 e 50...

Talvez possa perceber quão tão arrogante, desnecessária e discriminatória é esta sua Pretensão.

Para acabar Pergunto, tem Medo das tuas Tropas?

Queres colocar os seus Primos ou elementos da sua etnia a sua volta para sentir-se mais Seguras?

Então diga as claras, assim podemos até facilitar as Tarefas. Só lhe posso dizer uma coisa Sr. Presidente, O Sr. é eleito Presidente de Todos Guineenses, Independentemente da etnia seja em maioria nas Alfandegas, nas finanças, (como era no tempo do Sr) nas administrações Publica, ou nas FARP's . Ou seja neste caso como não há muitos Manjacos nas FARP's, vamos ter que recrutar nos próximos dias, para FARP's, muitos elementos da etnia Manjaca, ou mais Baratos seria ainda ir Buscar alguns algures, sei lá nas Forças Aramadas de Senegal? Talvez seria mais barato.

Voltando a História da Luta da Libertação Nacional, lamento informar a Sua Ex.ª Sr. Presidente, que aquela maioria Balanta nas FORÇAS ARMADAS DA GUINÉ - BISSAU não é de tudo voluntária, para quem viveu a Guerra como eu, Se informa por favor, e faça o seu trabalho, usando a sua magistratura de influencia ao Primeiro-ministro e Ministro da Educação para instituir nas Cadeiras da Escola, a disciplina da História da Luta para Independência da Guiné-Bissau.

Em todo caso queria dizer a Sua Ex.ª Sr. Presidente que, aqui vai a minha História, ou seja história igual a maioria daqueles Militares da etnia Balanta que foram empurrados de dois lados da frente da Guerras para Ingressar involuntariamente na luta da libertação Nacional em massa.

Fique sabendo que em 5000 Tropas de Cabral, por este Motivo 4000 eram Balantas só 1000 para restantes etnias. Isto espantou a Sua Ex.ª Sr. Presidente?


Agora vou explicar o porquê,
Eu não tive Infância feliz, pois vivi os meus 3 anos nos Mangais (tarrafes), porque era único abrigo aos Helicópteros Portugueses, que em todas zonas povoadas pelos Balantas na região de Quinara (inicialmente) depois para Região de Tombali, era considerada por Portugueses, zonas de TURRAS, pois ataques eram indiscriminadas nas nossas aldeias.

E durante a noite, de outro lado (GUERRILHEIROS do PAIGG) além de Mobilização obrigatória que impunha a nossa povoação, vinha abastecer nas nossas aldeias, levando a força, arroz, animais e toda logística para suas sobrevivência nas matas.

Todas estas situações, em que um Jovem proibido de viver na sua aldeia refugiando nos Mangais, e que tudo o que produz é levado para Guerrilheiros, obrigou muitos daqueles que hoje consideram o excedentário nas FARP's (motivo da sua quotização), ingressarem em Massa na Luta da Libertação.

Agora Camarada Presidente da República, Membro do BP de PAIGC, vá e reflita sobre esta situação e coloca - se no lugar destas pessoas.

Antes de Começar a tua Quota étnica Pense bem no que isso pode contribuir para desagregação social, e qual seria Obrigação de um Presidente Democraticamente eleito…

Nota: Os artigos assinados por amigos, colaboradores ou outros não vinculam a IBD, necessariamente, às opiniões neles expressas.

50 comentários :

  1. Acho que há aqui alguns erros históricos e outros deliberadamente ocultos, para dar maior enfase ao artigo. Julgo que será importante ter, em todos os locais onde haverá tropas, gente de todas as etnias, para bem da aproximação entre todos. É que com artigos destes começo a ver que, as principais razões da pobreza dos guinéus, não está nos políticos mas sim nas divergências entre os seus povos

    ResponderEliminar
  2. SÓ PODE SER AQUI NO BLOG DOS INTELECTUAIS BALANTAS.
    NÃO TÊM NADA A FAZER , COMEÇARAM CEDO OPORTUNISTAS, VAMOS FAZER CRITICAS CONSTRUTIVAS DEFORMA INTELIGENTE COMO VCS SEMPRE ACHAM QUE SÃO MAIS INTELECTOS..

    ResponderEliminar
  3. Pois é, li o artigo acima, parcialmente, gostei, mesmo não sabendo a sua essência. Iniciando, em primeiro lugar, sobre a quotização, o tema do artigo. Muito embora não sei como funciona nem como vai funcionar, resumindo, ignorante no assunto. Por isso, não vou me posicionar a respeito. Só que devemos evitar copiar a realidade da outra cultura, da outra sociedade para implementar na nossa. Segundo, vem a minha indignação de sempre, a questão étnica. O artigo mencionou que existe, na administração, pelo visto, do ex-ministro das finanças, o atual presidente, muitos mandjacos, digo assim, sem tomar em conta "do óbvio". Se pararmos para refletir, em qualquer instituição que façamos o levantamento étnico, sempre haverá percentual diferencial. Para tanto, isso não deve ser tomado como instrumento sustentáculo em defesa da nossa verdadeira revolta. Vamos evitar pretextos para atingir a essência da indignação. Na Guiné-Bissau, em qualquer parte do mundo civilizado ou não, sempre vai ter UM líder e, esse líder procede de um grupo social ou étnica. É o mesmo que acontece na Guiné-Bissau e vai continuar para eternidade. Caso isso é o motivo do descontamento e revolta, então a nossa revolta será permanente.
    No que se diz respeito ao sofrimento dos balantas durante a invasão dos criminosos, demônios portugueses, que hoje, tomamo-nos como o guia do nosso destino, modelo para nossa vida é lamentável a situação. Procuro-me a não lembrar disso, mas é impossível. E, fiquei muito feliz ao indagar sobre o estudo da nossa própria história, principalmente, pesquisar profundamente como foi os anos da última resistência intensa dos guineenses contra os portugueses, ou seja, da luta pela independência nacional, não história do PAIGC em si, como fomos levados a estudá-la na disciplina criada por eles, chamada: FORMAÇÃO MILITANTE. Não tenho mais tempo a prolongar, gostei parcialmente do artigo. Lembrando que o desenvolvimento, democracia se faz com a oposição das ideias, dos pensamentos, independentemente de sua natureza.
    Marcelo Aratum

    ResponderEliminar
  4. Ricardo Gomes da Silva disse começaram mais uma vez, a espalhar o vosso veneno da discórdia, assim para poderem abrir brecha para mais o golpe de estado. Mbém Bó dixa homi trabadja....

    ResponderEliminar
  5. Fernando Mussa Buaro disse: Desculpa, mas sugeri que devem mudar o nome deste site se na verdade estâo a pensar como Guineenses que sâo. E tendo em conta o assunto públicado penso que devemos todos nós Guineenses unir nossos esforços, conhecimento e tudo temos para pacificar este pais e povos sofredor. porque todos nos sabemos quem sâo os causadores de problemas neste pais.

    ResponderEliminar
  6. Danilson Sanches Correia É interessante saber desta memorável história!
    História de coragem a está grande étnica!
    Eu sou de toda etnia
    De todos os paises
    Amigo de todos os povos! !!

    ResponderEliminar
  7. Ola Sr escritor do texto do artigo, e interessante o seu raciocinio, mas francamente chega de instigar o Povo para a violencia e rancor entre os nos, com textos/artigos desse tipo. Sim e verdade de que a etinia balanta lutou muito durante a guerra, mas tambem sao eles atualmente a maior dor de cabeca que temos na terra de Cabral, e em termos de sabedoria e mostrar de que podem fazer algo estao muito longe disso, na nossa praca nao se ve um que se distacou possitivamente (excepto o falecido Paulo Correia) que foi morto pela intriga dos proprios balantas(acho que o Sr sabe disso), portanto tentem ser mais razoaveis e contribuem de uma outra forma para a acalmia de todos, procurem formas e meios de consenso para que a nossa Guine possa levantar de uma vez para sempre, porque o mal da Guine sao os seus proprios filhos, quero eu dizer como o Sr.!! Seja Guineense por favor meu parente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. como guineense que eu sou, nos temos que a postar nesse governo, deixem os duplos trsbalhar nada de humiliacao, ameasas nao vai nos levar lado nenhum, nao ha presidente como esse, nso ha 1 ministro como esse, povos guineense vsmos gritar que estsmos na fase de disenvolvimeno uooooo. na verdade desta vez vamos atingir os nossos objectivos com os duplos uniao eroupeia ja confirmaram o facto.

      Eliminar
  8. Intelectuais Balantas, por favor, existe uma ferramenta jurídica chamada Ação Direta de Inconstitucionalidade, façam jus a isso junto da STJ, o guardião da Constituição guineense que faça uma análise do assunto. Seria uma ação mais efetiva e menos propaganda que poderá dividir os guineenses.

    ResponderEliminar
  9. Domingos Gomes disse:IBD é o que^ afinal? E so houvesse outros IBD's. A nossa constituicao e o simbolo: unidade, luta e progresso seria como? Nao querem ver a luz na Guine. Deixem quem quer sair da escuridao poder ver a luz mundial. Seus odiosos. Basta! Abracos ainda que friamente.

    ResponderEliminar
  10. Meus caros Anónimos, só queria lembrar a Profética frase do Falecido Don Arturo Ferrazetta, Antigo Bispo de Bissau: "SO A VERDADE VOS ABSOLVERÁ", ou seja só a verdade vos vai tirar da "escuridão" em que estão mergulhados ha anos.Não adianta verter as lágrimas do crocodilo, pois tem que optar para VERDADE PURA, é único Caminho, pois as "INVERDADES" já trouxeram tantos Golpes de Estados, tantas "Intentonas", tantas matanças, mas pelos vistos insistem aprovar este Caminho.Sabemos que a verdade dói, mas precisamente também sabemos que o seu ESCAMOTEAMENTO tem como primeiras consequências as MORTES DOS INOCENTES(ex Rwanda).Deixemos as falsidades, Todos sabemos que o Sr. Presidente anda a ser mal aconselhado interna e externamente pelos eternos inimigos(Cólon) e mais novos Ermanos e vizinhos(Mangolés etc....) pela estrondosas derrotas que levaram(CAPOTE) respectivamente nas sucessivas Guerras e tentativas de Invasão e aniquilação das vossas FARP. Então como esta FARP, tem "uma maioria Étnica Brava" o objectivo agora é dispersar gradualmente esta gente dos Poderes da Segurança do Território, assim será fácil implementar a Política de alienação dos nossos Recursos para Grandes Potências Internacionais com Bandeira de Globalização. Meus Meninos, quem vos avisa é um amigo, nem sou Guineense directamente . .....! Acabem com Poderio Balanta nas FARP, e preparem para Invasões dos País vizinhos e das vossas riquezas,,,,,é já a seguir. Olhem Meus Amigos, tenham Juízo, porque o que estão a promover é simplesmente Tribalismo contra esta Etnia. "Se houver um Balanta que na cidade de Bissau, que provoque constante distúrbios, nas FARP, que Rouba o dinheiro do Povo para Construir casas no Estrangeiro, que Controla e compra as casas de Bissau Bedjo, que vende Droga, ou que Corta indiscriminadamente as madeiras da Guine em nome próprio", POXA, CHAMEM-NO PELO NOME, NUNCA PELA ETNIA. Ja viram quantas Injusta discriminação que isto é? Parem , Parem antes que seja tarde, Os Balantas de Praça de Bissau(não representam o NOME BALANTA EM TODO), tem nomes, chamem-nos pelos NOMES, mas não por Etnia.....Eles não representa aquela etnia humilde, que foram abandonado desde que os Portugueses saíram do País, nunca lá o PAIGC puseram os pés, não tiveram novas Escolas, estadas ou aguas potável, estes são os verdadeiros Balantas e por favor deixem os em Paz. Um bom fim de Semana a Todos Guineenses.

    ResponderEliminar
  11. Essa cota é uma mentira, uma forma de dividir os guineenses. Os colonialistas procuravam registar os guineenses de uma forma étnica e religiosa com intuito de criar divergência entre os grupos étnicos. A idéia era manter os fulas, mandingas, manjacos, biafadas, djacancas, nalus, brames, padjadins, susus, cocolis, balantas, pepelis, mancanhis, saracules, bambaras, cobianas, etc etc etc... Siparados. Porque sabem estes grupos unidos, são muitos fortes e uma ameaça viva para a colonização. Tentam de tudo para que estes se odeiam. Assim têm mais chances que fazer crescer a sua dinastia. Cabral e PAIGC, sabendo disso e para terem sucessos na luta, surgiu a teoria "Unidade e Luta". Unindo todos os grupos étnicos como um só e com o objetivo único de alcançarem a independência. Nenhum grupo étnico lutou mais do que outro grupo, tanto os mais números como os menos, todos eles deram o mesmo contributo.
    Hoje, difícil ou impossível mesmo de determinar a percentagem de qualquer etnia na guiné. Porque estamos todos misturados e unidos que não permite a cotização de qualquer cota étnica em todos os setores de estado guineense.

    ANOS I UM SO, FIDJUS DI MEMU MAME KU PAPE.

    ResponderEliminar
  12. julgo que o JOMAV não tem conselheiros ou então não ouve os seus conselheiros, porque de facto é muita pena um Jovem presidente a pensar desta forma tão infeliz num estado como este da Guiné-Bissau ainda por organizar e começar logo pela perturbação da parte do próprio quem devia servir como garante da estabilidade politica étnica cultural etc... a fazer tudo ao contrario em seu nome pessoal sem no entanto pautar pelo critério de mérito que ate poderia ser uma forte razão justificativa para poder compor as guardas presidências para assegurar a presidência. Mais uma vez um presidente a criar um divisão e a abrir precedentes que evidentemente terá as suas consequências desastrosas seja a curto e ao longo termo!!! Infelizmente o pais que temos, mas é bom que o Jomav saiba interpretar as nossas leis da republica seria muito importante para a sua continuidade como presidente da republica da guine.

    ResponderEliminar
  13. Secuna Baio Cassamá disse: Bom conselho! Mas quando o General Indjai falava barbaridades, ameaçando os jornalistas, ameaçando politicos (no caso Ibraima Sow) vocês nunca o deram conselhos, ou ele é perfeito, não merece conselhos. Sejam mais imparciais possível. Sem tendências! Guiné é de todos nós.

    ResponderEliminar
  14. julgo que o JOMAV não tem conselheiros ou então não ouve os seus conselheiros, porque de facto é muita pena um Jovem presidente a pensar desta forma tão infeliz num estado como este da Guiné-Bissau ainda por organizar e começar logo pela perturbação da parte do próprio quem devia servir como garante da estabilidade politica étnica cultural etc... a fazer tudo ao contrario em seu nome pessoal sem no entanto pautar pelo critério de mérito que ate poderia ser uma forte razão justificativa para poder compor as guardas presidências para assegurar a presidência. Mais uma vez um presidente a criar um divisão e a abrir precedentes que evidentemente terá as suas consequências desastrosas seja a curto e ao longo termo!!! Infelizmente o pais que temos, mas é bom que o Jomav saiba interpretar as nossas leis da republica seria muito importante para a sua continuidade como presidente da republica da guine..

    ResponderEliminar
  15. Eu não tenho etnia e não vou entrar nesse dabate como guineense que sou . sigo pensando como guineense espero que os demais também pensa assim......

    ResponderEliminar
  16. o cabra usou o logotipo unidade luta e progresso para unir os povo guineense que os portugueses na epoca tavam tentar separar para melhor atingir os seus objectivos ee ate usou um nome cristao(abel) e um nome muculmano(djassi) se o cabral disse unir todas as raxas etnicas para lutarmos contra o colonialismo . e o actual presidente repetiu a mesma conversa eu preciso de todas raxas etnicas para me assegurar na presidencia e voce doca mascarado de amilcar cabral que morreu a decadas vem me dizer que esas conversa nao e saudavel nos seio da sociedade guineense

    ResponderEliminar
  17. Caros conterrâneos, fico feliz em saber que estamos atentos às questões do nosso país. O nosso irmão teve essa maravilhosa ideia de sugerir ao Cidadão José Mário Vaz “Jomav” nosso Presidente, que se digne consultar o conselho de Estado, por forma a analisar a "Ideia de quotas étnicas". É uma matéria de grande complexidade, ainda que haja ferramentas adequadas para a realização dos juízos atinentes a matéria em causa. Depois de ser eleito, o Presidente fez uma turné a vários países. Quem sabe, foi-lhe aconselhado que procedesse desta forma (Especulação minha). Depois da tomada de posse, não se sabe se houve algum conselho de Estado reunido para tomar deliberações sobre esta matéria. Estamos todos numa situação "nefelibata", cada um procurando dar a sua opinião, sugestão. Ora, verdade é apenas uma, o que pode ser verdade para mim, é apenas minha verdade, daí que, tudo o que cada um disse, não deixa de ser uma “Tautologia”. Voltando a vaca fria, o que o nosso conterrâneo disse, a história que contou, julgo que foi para ilustrar a história de um povo, os dilemas passados, mas que não pretende reclamar alguma posição. Alguém lançou mão das palavras de Don Septímio Arturu Ferrazzeta, para lembrar que a verdade nos libertará. De que modo? Encobrindo algum (“Xântias ou um Déspota”)? Ainda muitos continuaram a tocar o mesmo teclado quanto ao “I.B.D”, que mal tem o nome caros conterrâneos? Sabem que a maldade está na cabeça de quem julga o termo em sentido pejorativo Na semana passada, um conterrâneo nosso escreveu um artigo para esclarecer essa situação, mas ainda continuam a implicar-se sobre o assunto. O Blog não só tem como objetivo dar a conhecer alguns traços da cultura étnica, ainda que poucas, mas interessantes, como não se restringe apenas nisso. Publica artigos de opinião de varias culturas e povos, posso até afirma que tem superado as nossas espectativas. Fartamo-nos de falar, mas não dizemos nada. Alguma vez já paramos para dizer o que vamos fazer para o país sem antes pensar no salário que porventura nos vão dar? Creio que não, mas se estou erado, peço que me corrijam. O que Wilbonh Flora Fez, foi dar o seu contributo, penso ter lido: “Senhor Presidente, consulte o seu “staff” e outros órgãos de soberania antes de avançar com a ideia de quotas étnicas”. É óbvio que outros terão as suas opiniões, eles que os partilhem em público. Não ouviram dizer que é melhor prevenir que remediar! Ou julgam que essa ideia não se aplica em matéria de Estado!? “Ca nô disquici Cuma iagu ta bibidu cru, suma quita bibidu cucido”.
    Portanto, Devemo-nos habituar a fazer as coisas como deve ser. Após a tomada de posse do novo Gorno da Guiné-Bissau, um Ministro veio dizer que ia acabar com as coimas que são passadas nas nossas estradas! Bem, foi ideia boa ou má? Outro veio dizer que a partir de então, os Militares não podem andar de uniforme na praça pública, foi ideia boa ou má? Não sei até que ponto é que os Ministros, os Presidentes, veiculam uma ideia sem que essa tenha passado num conselho de Ministros e publicado no Diário da República, para depois ser tonada pública. Cada um tem as suas ideias, não as passa antes num papel, ainda que apenas um A3 ou A4, seja lá de que tamanho for, lançam a ideia, porque já temos Comunicação Social, que vai tratar do resto do assunto. Dias, semanas mais tarde, alguém há-de aparecer para desmentir a ideia outrora lançada, sem consentimento do Chefe de Estado. É bom termos iniciativas, mas quando se trata de Estado, é bom que as coisas sejam tratadas com cabeça, tronco e os membros. Assim, quando “Tanamu na Fenhi”, pode-se pedir a Assembleia para pronunciar sobre o assunto. Ora se tudo for feito sem respeitar estes parâmetros que a constituição sugere, por mais que todas as estrelas conjurem contra a escuridão da Guiné-Bissau, a escuridão ganhará força dentro das nossas rijas cabeças

    ResponderEliminar
  18. Janota Da Costa disse: Se ja existe evidencias nos anteriores porque nao a quota ?? Quem tem medo da qouta ??
    As etnias manjacas sao os primeiros a desencadear uma contra acao contra os colonialismo , ( acao directa ) . mas nem por isso hoje em dia sao maiorias na marinha de guerra e nunca ouve reclamacao ao meu entender !! Parem com isso !!! Xxxx!!! Se ouver as pussibilidades de introduzir quota parte nas forcas armadas e a melhor coisa que se pode fazer.
    Eu tenho parte balanta que e da minha Mae , mas estou contra certas intrigas q tem sido a se promover nesse blog. Ate porque os Balantas nao sao assim de ta tantas confusoes , voces que se dizem e intutulam dos intelectuais e que confundem poderes politicas com a promocao dos conflitos etnicos. Eu tenho certesa que se a guerra fosse em bula os Balantas nao seriam a maioria , se consentrasse no leste ou Norte tenho certesa q nao seriam a maioria na luta armada ! Mas sao maioria porque a luta armada foi ter com eles ,e lutaram Por si pelos seus irmaos, pela sua patria . !!! Qual foi arependimento de tudo isso!!!
    Voces sabem quem foi o Nino Kabi ? Nao e por ser ele que tem se fazer Todos atrocidades que ele cometeu na guine !!! todos tem o mesmo direito , cada um fez a luta da sua maneira nem todos podem se detacar como os outros.
    Vamos lutar para unificacao do nosso povo .
    Vamos continuar a lutar.

    ResponderEliminar
  19. Ibo Camara disse: COMO guineese e patriota de etnia balanta,nao concordo com a denominaçao dado a serto bloc, que se chama intlectuas balantas, prefiro que seja intletuas guineeses, Onde ha um manifesto contra a ideia de presidente da republica sobre a formaçao de batalhao de presidencia, eu acho que balantas nao tem nada a perder se aprisidencia passa a ser segurado por todadas as etnias da guine, assim no futuro evitarà que furo prisidente por la so a sua etnia, sabera que a segurança de ele esta aser segurado por todas as etnias de guine, Por outro lado sabemos que nestes ultimos anos alguns homens politicos balantas de guine tentaram denigrir a imagem de mais passifica, solidario e menos tribalista da guine que é balantas, é o nosso dever é de mudar isso, como esta a fazer Alberto nanbeia mostrando todo mundo que balantas tambem podem fazer outra coisa nao so ser tropa para guadar os outros, O polacio é de todos nos se estamos la pela igual nao é nada de mal, EU me preocupava se o senhor jmv disse se que o batalhao presidencial serà asegurado so por mandjacos mas nao é o casso, UNIDADE E LUTA, AMOR A PATRIA CORUPCAO NEPIA

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sr. tem bastante razão temos que ser muitos cuidadosos quando queremos avançar com as decisões complexas COMO DESSE TIPO será que também igualar em termos de numero o batalhão da presidencial não é também uma forma camuflada de incentivar o tribalismo. CUIDADOS irmãos.

      Eliminar
  20. Quintino Na Nduk disse: Se isso for verdade, então vamos ter um presidente por cada etnia. Será que isso que os guineenses? Claro que não!

    ResponderEliminar
  21. Todos os comentarios sao validos, isso mostra q estamos todos interessados Na no GUINE. Mas nha ermoms ami ncunsa na tene duvida cu no Pursident de!!! Cumsando Na acusasao sobre disvio d dinheiro, roubo d voto i tambe e djugude q fica ina bua bua td ladu. Cano durmi no yanda sempre discunfiadu ora q caminho Ca limpo . Bo lembra um cussa mundo sta cu crise economica suma la na Tuga situacao i cada ves mais dificil, agora suma q custuma fartanda se barriga cu cumida q ta bim d cegos humanos Africanos, anta e pudi cuntinua na novo djugu d interesse, pabia noca uni.
    No abri udju na cabeca de ermons!!!
    Tugas cansa torque q na luta p bay migra p Africa.
    Nha utro opinion i cuma manga d djintis Na Critica nomi d Intelectuais Balantas n Diaspora, ppabia q noca lansa mesmo critica p F. C. Balantas d Mansoa???? Ilhas d Bidjugus??? Quil Musica d Americo Gomes Mandjacu Na fire??? I manga d utros nominacoes q ta refere nomis d no valiosas etnias!??
    Alguim pudi djudan esclarece nha duvidas???
    Obrigado nha ermoms

    ResponderEliminar
  22. Bon Dia Mano Adulai Camara, nfala bu kabal tudu, es Nome ka tem nada a ver k tarbadjo limpo que es mininus na fassi pa educa Sociedadi e per venturas manga di djintis ku mantidu ba na ignorança.
    Pa irispundi quil perguntas ke bu lavanda, ora ke ê rispundi , então ê ta riba ê bim Critica Nomi de Intelectutal Balantas,
    Pa ê dixa rapazes conta se bardadi, ê ta tchoma ba Elis Jentius, pabia Portuguis tudji eles Scola, na area nunde ke sta tchiu nunca Portuguises invisti na scola.Pabia? aaaaaaah pabia Portuguisesis sibi nunde que Barriga di Guiné sinta na el.Portuguis sbi ba dja aonti, aós e amnaha, que pa ê toma Konta di es Terra ê tnha ba ku fassi contas ku Balantas e nem mais......Va e pensem

    ResponderEliminar
  23. Rui Lopes Bento disse: Sim senhor presidente! V. Excia tudo que relatou é verdade. Criar forças armadas mistas para evitar o tribalismo uma lógica concertante. O sr.presidente lembre -se que é chefe de estado maior portanto qualquer que seja decisão tomada deverá enviar pareceres segura através do seu presidente de ANP. Para sua promulgação. Tudo que que for para bem do país seja bem vindo. Cabe ao sr. Presidente tomar medidas para que o país possa ter estabilidade política e económica financeira e paz. Muitos imigrantes querem regressar ao país mas o receio é tanto! Em relação à exploração petrolífera lembre-se que o país precisa do rápido desenvolvimento e é aí que se vai buscar riquezas. Só agricultura e agropecuária não chega. Siga exemplo de Angola que está á explorar suas riquezas em prol de desenvolvimento do país. Quanto às deficuldades de vida talvez uns passaram duma outras passaram de formas diferentes isto não tem lógica e não são exemplos que se deve comparar em termos de sacrifícios. Exemplo luta armada e imigração.

    ResponderEliminar
  24. Caros amigos e compatriotas a falta de humildade e carácter não nos leva a lado nenhum.

    ResponderEliminar
  25. Intelectuais Balantas Na Diáspora - compatriotas ou amigos a vossa opinião e o vosso ponto de vista, procurem estar sempre do lado da moderação para o bem da liberdade, paz e desenvolvimento humano na sua plenitude

    ResponderEliminar
  26. Otílio Camacho Aqueles a quem foram atribuídos diplomas sem mérito de a possuírem, aqueles que embora saibam não serem merecedores de diploma algum, mas que se fazem passar por intelectuais metendo o nariz em tudo quanto é sítio e dando opiniões bizárras e desprovidas de nexo, esses "pseudo-intelectuais", são os maiores delinquentes no seio de uma sociedade que se pretende multicultural. Tudo o que tiram da boca é asneira da gróssa! Por isso as opiniões desses delinquentes, devem ser colocados no caixote de lixo e esquecidos no tempo.

    ResponderEliminar
  27. Wilrane Fernandes Caro compatriota, Otílio Camacho a tua opinião e o teu ponto de vista, procure estar sempre do lado da moderação para o bem da liberdade, paz e desenvolvimento humano na sua plenitude. Para te lembrar bem que nos somos bons na mundo de ciência....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem piada que não conheço nenhum balanta no mundo da ciência. Desafio-o a apresentar um, que seja conhecido. Sabe, eu tenho um apetite voraz em me cultivar cada vez mais.

      Eliminar
  28. Otílio Camacho Ahahahah, palavras para quê!

    ResponderEliminar
  29. Otílio Camacho Virgem Santíssima! É com cada cromo!...

    ResponderEliminar
  30. Wilrane Fernandes sr. Otílio Camacho achas isso sem piada ou a tua patetice de sempre continua te roendo, liberte te de odio que tens do povo verdadeiro da Guiné-Bissau, os menos alienados ...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ódio, eu? Infelizmente isso não existe no meu vocabulário. Povo verdadeiro da Guiné-Bissau? Quer dizer que nem conhecem a história? Haja paciência!
      Sinto pena que você não me conhece, porque se você me conhecê-se, saberia que eu tive tudo o que sempre quis, mais não digo.

      Eliminar
  31. Ze Junior Opinioes sao sempre importantes dai as elacoes tiradas dos que a leram.
    A minha, e de que nao devemos criticar tudo e toda a hora. A nossa Guine merece mais gente empreendedora para criar um tecido economico variado , saudavel e contribuitivo que nos ofereca um futuro sem estar a pedir esmolas internacionais que nos coloca a merce dos ditos Amigos. Sinceramente esta e a solucao que Guineenses audazes devem adoptar, infelizmente a maioria so quer politica pois e a maior ou senao a unica fonte de riqueza do Pais poucos anos apos a independencia ate ontem. Vamos mas e trabalhar e produzir pois so dai e que seremos independentes de plenos direitos!

    ResponderEliminar
  32. Martinho Fernandes-Eu acho que chega de serem ridiculos poupam as pessoas com a vossa falta de higiene MENTAL

    ResponderEliminar
  33. Re-direito a resposta-JAMES WILBONH FLORA

    Boa noite a Todos, só para dar uma achega final. Reafirmo que quem escreveu este texto fui eu, ou seja gastei os meus neurónios a tentar ilustrar a minha preocupação e qualquer forma partilhar a mesma com a Vossa excelência Sr. Presidente da República e mais Guineenses dignos. O assunto era muito sério merecia uma analise profundo por parte do destinatário, e pelos vistos o bom senso prevaleceu-se. Não querendo dizer com isso que, foi por causa do meu artigo, há um tempo é que já ninguém fala em quotas étnicas., nem em Militares. Felizmente queria dar Parabéns ao Vossa Excelência PR pela gestão patriótica do assunto, é disso que se faz um grande Presidente.
    Dito isso, tenho que mencionar aqui os nomes, e Desculpe pois tenho também o direito de defender-se . O Sr. não sei o quê Camacho, ele que não me venha dizer que é Engª ou Dr. Pois o que ele escreve nem de longe parece um Letrado, mas enfim, vai dizendo que outros não merecem titulos dos Intelectuais porque a seguir vem os Balantas....Ou seja um Balanta não pode ser Intelectual, ora aí está o equívoco caro Camacho, estes tiques, são típicos de Fascistas, e xenófobos, como na era Colonial....são os sonhos diurnos sabes, pois os sonhos reais são noturnos. Assisti duas conferencias suas em que o Sr. foi convidado como palestrante lamento dizer lhe isso aqui, mas para além de grave deficit do rigor científico que revelou sobre temas, mesmo não sendo tema o assunto Militar e dos Balantas portanto, sempre vieram a tona a brotar pois o Sr. extrapola em extensão á uma etnia, por ser maioria na FARP....Deplorável mxm, e a sua atitude é lamentável. O Sr. deverá conter-se no seu apetite pois hoje na Guiné não haverá mais lugar para Fascismo nem o neo . E intenda de uma vez por todas, é que, na Guiné, somos de Origens étnicas de base, misturadas entre si, não havendo etnia genuína, é assim a nossa essência como Povo. Quem não conforma com isso só tem uma solução, que é emigrar e deixem etnias em paz.
    Saiba que este artigo é meu, eu não faço parte dos Intelectuais Balantas e nem sei quem são, mas temos em comum a visão que eles defendem(o que não é seu caso), que na Guiné temos que viver respeitando as nossas diversidades. Por isso eu mando as minhas reflexões para este espaço, e mais, podes rever os artigos editados por IBD neste blog, não vai encontrar um que eles digam os Balantas são superior as outras. Por isso não intendo a sua PARANOIA xenófoba contra os Balantas e Militares como o Sr. costuma associar.
    O Sr. sempre achou que o Problema da Guiné são os Militares e Balantas(não podes negar..), por isso convido o comentar atual situação de Crispação entre Primatura e Presidência, aaah eu sei, já não dá para voltar atrás, os Balantas-Militares serão sempre para si, os maus da fitas, é uma jura, porque foi assim que os Portugueses vos ensinaram, eu graças a Deus sou cefálico dispenso os, as minha faculdades mentais autóctone ainda funcionam.
    Espero puder encerrar estes comentários, ou vou ter que retirar o artigo daqui pois o proprietário sou eu....espero que muitos percebam o meu estado de animo. Houve muitos insultos proferido por este Senhor, que queria ser Europeu mas só te um aumento ligeiro da dose de Melanina, mas isso não é culpa de ninguém....por isso poupa nos, nós somos orgulhosos de ter a nossa Melanina original etnica de Origem, e nunca o iremos vender....Desculpem

    James Wilbonh Flora

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro James Wilbonh Flora, eu não preciso prestar contas da minha capacidade, porque ela é bem conhecida nos meios por onde passei profissionalmente. Devo lhe dizer que a maior parte da minha vida trabalhei na Europa e por onde passei, sempre fui o gestor. Tenho mais de 20 anos de liderança. Aqui em Londres, estão portugueses e espanhóis licenciados em advogacia, filosofia, gestão de empresas e outros, que foram meus subordinados e que podem comprovar isso quando voçê quiser. Eu nunca fiz e não faço parte do seu grupo social. Mas não estou aqui para falar de mim, pois a minha vida só a mim diz respeito. Repito, quando voçê quiser, ponho-lhe frente e frente com aqueles que foram meus subordinados. Agora, o que me interessa, é perguntar-lhe porque não está aqui presente a minha resposta ao que escreveu?

      Eliminar
  34. Francisco Gomes Wambar Caros é preciso saber discernir coisas, principalmente, quando se trata de um país como o nosso, onde tem ou existe 32 grupos étnicos. O que entende da preocupação do presidente é que o número de soldados de qualquer grupo étcnico, não deve ser maior que a soma dos demais. Fato que está sendo mal interpretado por intereses subjetivos, como aparece explicitamente e corriqueiro no internet. Hora cabe perguntar porquê isso?????? Essa preocupasão, também, não afeta a história de luta de libertação nacional e ném os seus combatentes! Muitas pessoas gostáriam de ter esclarecimento sobre pela grande enfase e proecupação dado a questão!

    ResponderEliminar
  35. Germano sadjo cassamá29 de março de 2015 às 15:16

    Irmãos o Assunto em Debate é forças Armada, então vamos fazer as pessoas saber o que significa forças armada de um país:
    As forças armadas de uma nação constituem o conjunto das suas organizações e forças de combate e de defesa. Dependendo do país, as forças armadas podem adotar designações oficiais alternativas como "forças de autodefesa", "forças militares" ou "exércitos".

    Na grande maioria dos países, as forças armadas são instituições nacionais permanentes e regulares, organizadas com base na hierarquia e na disciplina, geralmente sob a autoridade directa do ministro da Defesa ou equivalente e sob autoridade suprema do Chefe de Estado ou de Governo, dependendo do regime político. Destinam-se essencialmente à defesa militar do país, podendo também - se a lei nacional o permitir - colaborar na garantia dos poderes constitucionais e na defesa da lei e da ordem interna.

    As forças armadas são instituições nacionais autorizadas pela sua nação a usar a força - geralmente através do emprego de armas - em defesa do seu país (incluindo atacar outros países, em defesa dos interesses nacionais). Isso pode ser feito através do combate real ou da simples ameaça do uso da força. As forças armadas, muitas vezes, funcionam como sociedades dentro de sociedades, por terem suas próprias comunidades, leis, economia, educação, medicina e outros aspectos de uma sociedade civil.

    Ao estudo do emprego das forças armadas chama-se ciência militar. Em termos gerais, a ciência militar considera três níveis de atuação ofensiva e defensiva: o estratégico, o tático e o operacional. Em todos os níveis, é estudada a aplicação do uso da força no sentido de ser atingido o objetivo desejado.
    este resumo é só para o BLOG saber o que está acontecendo em Guine é td acontrário.
    o blog mesmo disse para chamar as pessoas de nome então não venha usar nome BALANTA, porque é nome comum. eu vou chamar os guineenses atenção com (Doca Internacional) porque é uma pessoa q está precisando de tratamento Medico.

    ResponderEliminar
  36. As forças armadas de uma nação constituem o conjunto das suas organizações e forças de combate e de defesa. Dependendo do país, as forças armadas podem adotar designações oficiais alternativas como "forças de autodefesa", "forças militares" ou "exércitos".

    Na grande maioria dos países, as forças armadas são instituições nacionais permanentes e regulares, organizadas com base na hierarquia e na disciplina, geralmente sob a autoridade directa do ministro da Defesa ou equivalente e sob autoridade suprema do Chefe de Estado ou de Governo, dependendo do regime político. Destinam-se essencialmente à defesa militar do país, podendo também - se a lei nacional o permitir - colaborar na garantia dos poderes constitucionais e na defesa da lei e da ordem interna.

    As forças armadas são instituições nacionais autorizadas pela sua nação a usar a força - geralmente através do emprego de armas - em defesa do seu país (incluindo atacar outros países, em defesa dos interesses nacionais). Isso pode ser feito através do combate real ou da simples ameaça do uso da força. As forças armadas, muitas vezes, funcionam como sociedades dentro de sociedades, por terem suas próprias comunidades, leis, economia, educação, medicina e outros aspectos de uma sociedade civil.

    Ao estudo do emprego das forças armadas chama-se ciência militar. Em termos gerais, a ciência militar considera três níveis de atuação ofensiva e defensiva: o estratégico, o tático e o operacional. Em todos os níveis, é estudada a aplicação do uso da força no sentido de ser atingido o objetivo desejado.
    o que esta acontecendo em Guine é td acontrário.
    como o blog disse para chamar nome das pessoas então nao usa nome Balanta porque é nome comum.
    chamo os Guineenses atençao com o tal de (Doca Internacional) porque ele esta precisar de tratamento Medico.

    ResponderEliminar
  37. Nas Forças Armadas de um pais devem estar todos os filhos daquela naçao, com idade a partir dos 18 anos, independentemente da etnia a que pertencer OK !! Sr. Tribalista

    ResponderEliminar
  38. Neusa Sanha Podia ter dito muita coisa. Mas cheguei a conclusão que ganho mais com ficar calada. Mas, mesmo assim, não resisto a tentação de dizer que sendo um artigo escrito para consumo de«mentes despistadas», duvido que haja um guineense com o mínimo de sentido comum que consiga ler este artigo até ao fim. Vindo de Wilrane Fernandes, não traz nada de novo. Alias, o homem mais uma vez, está no seu melhor. Sempre que o bem caminha para uma direção certa mas que no comando não está um BALANTA, vem o Wilrane Fernandes e os seus comparsas a dizerem que tudo está errado. Mas, felizemente, as mentes lucidas, estão um passo a frente do Mr. Wilrane e companhia LDA.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Marta Sisse Elaaaaaa Mr. Wilrane Fernandes, ka bu ceta lebsimente di Neusa Sanha kkkkkkkkkkk o debate está aberto, toca a argumentar, para provar a Neusinha que ela está errada. Se não o fizeres ficaremos todos com a ideia de que a Neusa tem razão. Ou seja, bu kata conta bardadi. Bu vida i so TCHUTCHI&TCHUTCHI! Anda, argumentos!!!

      Eliminar
    2. Neusa Sanha Marta, abo muntrundadi passa!!! K bu na tiran campu ku Wilrane!? I kata conta bardadi, ma memo assim, nkana sai campu kuel pabia kuma i ma min garandi (n`pensa não?) ou i kuma Wilrane?

      Eliminar
    3. Neusa Sanha Como tem sido habitual quando as coisas nao te agradam, espero que desta vez , não suprimas os meus/nossos comentários. Querendo, exerça o teu direito ao contraditório.

      Eliminar
  39. Eu nao vejo nada de progresso com esse debate,dissem eles.primeiro vamos concentrar no que e essencial, resolver o problema do nosso Governo,que continua a dancar a musica de Kunsude sem parar ate quando?E depois vou vos explicar como e que o povo da Guine-Bissau e Entelectual,sabio,cientista e professor.Ninguem leve de mal estamos todos na luta pela nossa Guine-Bissau.Intelectuas Balantas e uma palavra que nao ofende ninguem, nem e tribalismo,e nem e Racial.Anos tudu i GUIGUIS de GB.BO CURTI UM BOM FIM DI SEMANA.

    ResponderEliminar
  40. Em primeiro lugar não entendo o porquê de tanto comentário anónimo, têm medo do quê, o jomav não faz mal a ninguém, e por os Guineenses estarem com medo dele que ele esta construindo uma DITADORA na Guiné Bissau, é por Os Guineenses estarem com medo dele que ele faz o que quer do Povo da Guiné Bissau. Concordo plenamente com o texto da noticia pura verdade, o jomav atropela tudo e todos até a própria Constituição da Republica, VIVA A GUINÉ BISSAU E O POVO GUINEENSE. FORÇA VAMOS TODOS JUNTOS LIBERTAR A GUINÉ BISSAU DESTE DITADOR.

    ResponderEliminar


COMENTÁRIOS
Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.