terça-feira, 23 de Setembro de 2014

Parabéns a nação guineense e o seu mavilhoso povo!

Esta é a nossa Pátria bem amada
Sol, suor e o verde e mar,
Séculos de dor e esperança:
Esta é a terra dos nossos avós!
Fruto das nossas mãos,
Da flôr do nosso sangue:Esta é a nossa pátria amada. 
 
CORO
Viva a pátria gloriosa!
Floriu nos céus a bandeira da luta.
Avante, contra o jugo estrangeiro!
Nós vamos construir
Na pátria imortal
A paz e o progresso!
Nós vamos construir
Na pátria imortal
A paz e o progresso! paz e o progresso!

Ramos do mesmo tronco,
Olhos na mesma luz:
Esta é a força da nossa união!
Cantem o mar e a terra
A madrugada e o sol
Que a nossa luta fecundou.
CORO

Viva a pátria gloriosa!
Floriu nos céus a bandeira da luta.
Avante, contra o jugo estrangeiro!
Nós vamos construir
Na pátria immortal
A paz e o progresso!
Nós vamos construir
Na pátria imortal
A paz e o progresso! paz e o progresso


O nosso obrigados a todos combatentes da liberdade da nação guineense!

 

Guiné-Bissau vai à assembleia-geral da ONU pedir confiança renovada


O primeiro-ministro da Guiné-Bissau, Domingos Simões Pereira, vai pedir aos parceiros internacionais na 69.ª Assembleia Geral das Nações Unidas que "acreditem nos novos desígnios da nação", disse o líder do governo aos jornalistas em Bissau.

Simões Pereira deverá viajar na quarta-feira para Nova Iorque para discursar na tarde de sexta-feira, dia 26.

"Vamos pedir que nos deem uma nova chance, que acreditem nos novos desígnios da nação", referiu em declarações feitas na segunda-feira.

O novo governo assumiu funções no início de julho após as eleições gerais deste ano que puseram fim ao regime de transição que tomou o poder depois do golpe de Estado de abril de 2012.

Em representação do país, Domingos Simões Pereira pretende consolidar o reatamento das relações diplomáticas com a comunidade internacional e garantir que há uma viragem no país rumo à estabilidade duradoura e desenvolvimento.

A comunidade internacional "precisa dar um sinal de confiança neste país e neste governo", destacou.

"A Assembleia Geral das Nações Unidas é o maior palco do concerto das nações. Vamos encontrar os nossos parceiros, tanto multilaterais [no quadro de organizações internacionais] como bilaterais [os próprios países], e vamos fazer uma advocacia a favor do país", explicou Domingos Simões Pereira.

Um apelo aos outros países "para que permitam realmente que o nosso programa seja implementado e possamos ir para a próxima mesa redonda numa condição de confiança", referiu.

O fim das sanções à Guiné-Bissau e a apoio "às necessidades mais básicas" do país são dois pontos essenciais, acrescentou o líder do governo guineense.
Domingos Simões Pereira viaja acompanhado por uma comitiva que inclui o lider da  segunda força política do país, Alberto Nambeia, presidente do PRS-Partido da Renovação Social, entre outros, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Mário Lopes da Rosa.

Para além do discurso em representação da Guiné-Bissau marcado para sexta-feira estão previstas outras atividades.

segunda-feira, 22 de Setembro de 2014

Pelas nomeações de Diretores gerais na Republica da Guiné-Bissau


Por, James Wilbonh Flora

“Que fique claro o seguinte: Sou a favor de mudanças positivas para a Guiné-Bissau. Porém, das novas autoridades legitimadas nas urnas, anseio por medidas que não sejam tomadas em jeito de vingança, de represália, mudando/substituindo uns por outros, sem ter em conta as repercussões que as fragilidades de ordem estrutural do país impõem como condicionantes ao bom desempenho institucional.

Gostaria de ver as novas autoridades do meu país pautarem-se por acções promotoras da meritocracia, mas sem sinais de vingança, de represália, contra quem quer que seja. Volvidos três meses de benefício da dúvida, espero que as novas autoridades do país não promovam uma "caça às bruxas", indo ao encontro dos mesmos erros de sempre...

Vamos com calma, para que tudo seja feito com naturalidade, a seu tempo, pois não vejo estabilidade para a Guiné-Bissau quando se faz da Exoneração em larga escala, prioridade máxima das novas autoridades. Podem dizer-me que têm legitimidade para isso, sim, têm com certeza, mas legitimidade não é, nunca foi, nunca será sinónimo de ESTABILIDADE...! Bom senso recomenda-se para a Guiné-Bissau.”- Didinho

Caro primeiro-ministro da Guiné-Bissau, antes de tudo, muito obrigado e parabéns pelas  nomeações de Diretores gerais(ver aqui»») ao qual me congratulo.

Em todo caso, queria só ressalvar um facto. O problema é que estive a ver a lista e rever os nomes embora não reflitam as diretamente as etnia, mas salta a vista que os GOMES e PEREIRAS são em Maiorias relativamente às Mbanas e Baldés, e portanto fiquei muito perplexo tendo em conta a teoria da Quota étnica proposta pelo um dos membro do BP do PAIGG, Partido que a Sua excelência senhor Eng.º Domingos Simões Pereira. lidera.

Agora o que queria é que o Partido explicasse aos Guineenses, era se esta Quota étnica é só para algumas instituições do Estado, ou era para agradar os parceiros externos em trocas dos favores, em detrimento do que realmente interessa para estabilidade de Pais? Mais como costumam dizer, meia palavra chega para um bom entendedor...

Nota: Os artigos assinados por amigos, colaboradores ou outros não vinculam a IBD, necessariamente, às opiniões neles expressas.

Conselho de Ministros do Governo da Guiné – Bissau, nomeia novos Diretores-gerais



O Conselho de Ministros nomeou no passado dia 20 do mês em curso, Francisco Barreto para as funções de Secretário-geral do Ministério da Comunicação Social, tendo sido extinto o cargo de Diretor-geral e exonerado o seu titular, Humberto Monteiro.

Barreto é jornalista de profissão e havia desempenhado as funções de Diretor-geral da Agência de Noticias da Guiné (ANG) nos anos 80.

 Segundo o comunicado do Conselho de Ministros, na sua sessão extraordinária do passado dia 20, o colectivo governamental deu ainda o seu consentimento às diversas nomeações nos Ministérios da Defesa Nacional, da Saúde Publica, Agricultura, Pescas e Educação.

No Ministério da Defesa Nacional, foi nomeado o Malam Camará nas funções do Diretor-geral da Politica de Defesa Nacional, Aníbal Sedja Costa, Diretor-geral do Pessoal e Recrutamento Militar, Joaquim Filinto Silva Ferreira, Diretor-geral da Logística e Armamento.

No Ministério de Agricultura e Desenvolvimento Rural, é o senhor Casimiro Dias nomeado novo Inspetor-geral do Ministério, Simão Gomes, Presidente do Instituto Nacional de Pesquisa Agrária (INPA), Carlos Mateus Tavares de Amarante, Diretor-geral da Agricultura e Malam Cassama novo Diretor-geral das Florestas e Fauna.  

No Ministério da Educação Zaida Maria Lopes Pereira Correia foi nomeada Reitora da Universidade Amílcar Cabral (UAC), Policarpo Marcos Lopes é o novo Secretário-geral da Comissão Nacional da Organização das Nações Unidas para Educação Ciência e Cultura (UNESCO).


 No Ministério da Saúde Publica, António Guilherme Silá foi nomeado novo Secretario Geral desta instituição, Francisco Aleluia Lopes Júnior nomeado Inspetor-geral das Actividades em Saúde, e Margarida Alfredo Gomes é a nova Directora do Hospital Nacional Simão Mendes.

Na Secretaria de Estado das Pescas e Economia Marítima, Sebastião Pereira foi nomeado novo Diretor-geral da Pesca Industrial, Carlos Nelson Sano, Diretor-geral da Pesca Artesanal, Cipriano Fernandes Sá, Coordenador do Serviço Nacional de Fiscalização e Controle das Actividades de Pesca (FISCAP).

O Comunicado do Conselho de Ministros informa que em consequência das referidas nomeações foram dadas por finda a Comissão de serviço nos mesmos cargos, dos anteriores titulares.

PRS reafirma irreversibilidade da integração de seus dirigentes no governo do PAIGC

A Comissão Política Nacional (CPN) do Partido da Renovação Social reafirmou hoje, segunda-feira, a irreversibilidade da decisão da direção superior do partido em relação à integração de seus dirigentes no governo do PAIGC.

Em comunicado distribuído à imprensa, a Comissão Política Nacional do PRS, reunida em Bissau, diz que a posição do PRS vai ao encontro de esforços empreendidos na busca de soluções melhores para a paz e estabilidade no país.

No mesmo encontro, a direção superior do PRS votou por unanimidade o regresso pacífico de alguns militantes que haviam desafiado a disciplina partidária apoiando outros candidatos durante as últimas eleições gerais este ano. Ler aqui»»

Nigéria oferece fardamento às Forças Armadas da Guiné-Bissau



A embaixada da Nigéria em Bissau ofereceu hoje fardamento diverso às Forças Armadas da Guiné-Bissau num gesto considerado pelo primeiro-ministro guineense, Domingos Simões Pereira, como de solidariedade africana.

O embaixador Mohamed Adan entregou ao líder do governo um total de 1.278 uniformes para oficiais, 1.224 chapéus, 1.930 pares de sapatos, 4.600 uniformes de combate (para soldados), 4.750 cintos e 4.260 pares de botas de combate.

Ao agradecer o apoio da Nigéria, o primeiro-ministro guineense disse que o uso dos uniformes "vai dignificar ainda mais o gesto de um povo irmão" pelo que exortou para que os equipamentos sejam bem utilizados pelos militares.

"As dificuldades logísticas que as nossas Forças Armadas enfrentam neste momento também estão ligadas à questão dos uniformes", acrescentou.

Domingos Simões Pereira vê no apoio da Nigéria a "demonstração clara" da disponibilidade daquele país em continuar a ajudar a estabilização da Guiné-Bissau.

Disse também que a mesma vontade é partilhada pela Comunidade Económica dos Estados da Africa Ocidental (CEDEAO) e outros parceiros.

"Estão a apoiar a Guiné-Bissau e dão-nos uma nova motivação para acreditarmos que o futuro nos reserva um bom quadro de cooperação, bastante positivo, mais apaziguado e de progresso", notou o primeiro-ministro guineense.

O embaixador da Nigéria, Mohamed Adan, afirmou que o seu país pretende ajudar a Guiné-Bissau "a encontrar a paz definitiva" e que os uniformes militares foram pedidos pelo anterior chefe das Forças Armadas, António Indjai, quando o presidente do seu país visitou Bissau.

Goodluck Jonathan realizou uma visita de trabalho de algumas horas a Guiné-Bissau no passado mês de novembro.